11/04/2007

A AVENTURA DO FORD ESCORT NO SAFARI

> Olá. O meu nome é Escort, Ford Escort. Também sou conhecido por RS 1600, MK I e por vezes também por BDA ou Mexico. Mas deixem-me contar então a minha história…



> Nasci no norte de Espanha, numa pequena empresa chamada Rallye Kits. Depois de ter sido criado, colocaram-me dentro de uma embalagem plástica e agrafaram uma etiqueta no topo. Viajei durante algum tempo e quando acordei estava numa estante ao lado de vários irmãos e primos. Eu estava nú, mas havia lá outros bem vestidos, todos vaidosos dos seus números nas portas e reluzentes de verniz! Sentia-me o “patinho feio” daquela loja, mas no fundo sabia que a minha hora de “cinderella” havia de chegar…

Um dia, estava eu a dormitar, senti alguma agitação na loja. Entraram várias pessoas, todas a falar estrangeiro mas que, curiosamente, eu conseguia entender! Olhavam todos atentamente para nós e iam escolhendo, este, aquele… eu!? De repente alguém pegou em mim ao colo e tirou-me dali. Levaram-me para o balcão e trataram de me encontrar umas calças. Havia umas, da marca Hobby Slot, que vieram comigo. Depois, voltei a hibernar.



> Passado algum tempo saí da caixa e então vi onde estava. Um atelier cheio de livros, revistas e muitos modelos como eu. Alguns em exposição, todos bonitos dentro das caixas, os outros nas várias boxes à espera de serem pintados, montados ou então da prova seguinte. Muitos Porsche, muitos clássicos como eu, mas todos com bom aspecto. Fiquei curioso sobre o que me iria acontecer. Alguns dias depois comecei a notar várias fotos de alguns irmãos meus a correrem e a caixa onde me encontrava a encher-se de material. Finalmente o meu dono pegou em mim e tentou enfiar-me as calças que tinha comprado. Eram grandes, mas ele insistia e com alicates e chaves de parafusos tentava que eu me sentisse bem. Desilusão! Com os bonitos sapatos Minilite cromados que ele me arranjou, as calças não se ajustavam. Senti-o desanimado mas logo a seguir vi-o a procurar nas caixas de material algo que me servisse. De repente tirou umas bem jeitosas que tinham sido feitas de propósito para um Subaru WRC da Revell em 2004. Com uns ajustes na parte de trás, lá estava eu todo “dandy”, de calças novas e equipadas com uns suspensórios azuis da Ninco!



> No dia seguinte acordei na banheira. Banho total com shampoo e depois lixa de água! Saí dali com uma pele “tipo bébé”. Ainda não tinha recuperado e já estava na varanda a levar uma camada total de tinta branca. Começava a sentir-me bonito. À noite, enquanto eu secava, o meu dono montava um coração NC6, afinava os suspensórios e colava os sapatos Minilite às calças. No dia seguinte eu já estava seco e ele pintou-me o peito de preto fosco, assim como os olhos e as sobrancelhas. A seguir tatoou-me uns Castrol nos ombros, colou a matrícula e os números de corrida. Estava todo vaidoso, sentia-me bem bonito!

A data do rali aproximava-se e um dia à noite saímos os dois para testar as afinações que ele tinha imaginado. Chegamos ao local de testes e comecei por dar umas voltas ao circuito. Corria devagar mas a pouco e pouco fui ganhando confiança e aumentando a velocidade. Estava bem equilibrado e o coração respondia na perfeição. De seguida passei para o circuito de terra e aí o gozo foi enorme. Com aqueles sapatos e os suspensórios era uma maravilha andar ali por cima das lombas, nos saltos e sempre, sempre de lado à saída das curvas. Estava feliz!

Sábado era o grande dia. Acordei cedo mas o meu dono teimava em não aparecer. Pensei que ele se tinha esquecido… finalmente vejo-o a arrumar as boxes e entro no camião de assistência. Fico a pensar onde me vai levar. Na minha cabeça revejo todas aquelas fotos dos meus irmãos mais velhos a competirem em todo o mundo desde os anos 70, tantas provas, tantas vitórias, um modelo de sucesso… será que eu estou à altura deles? Arrepio-me.



> Desembarco em África. Não era bem isto que esperava, um rali cheio de ratoeiras e bichos… mas encaro o desafio com coragem. Entro no parque fechado e tenho uma enorme surpresa. O mundo dos ralis está todo ali, os 124 e os 131 Abarth, o Stratos, os meus irmão mais velhos, os RS 1800, os Porsche 911, Alpine A110 e tantos outros. Todos me querem conhecer e dão-me os parabéns pela fatiota bonita que trago. Fico muito impressionado com os mais velhos Audi Quattro Sport, MG Metro 6R4 e Peugeot 205 T16 da geração B. Inspiram respeito.



> O rali começa e eu sou um bocado trapalhão. Quero correr muito e ando muito de lado. Às vezes caía. Mesmo assim consegui terminar a etapa em 6º lugar. Vejo que o meu dono não está muito contente e tento melhorar a seguir. Apesar de correr melhor chegámos em 4º. Dez segundos separam-nos de uma medalha. Fiquei triste mas sei que vou continuar e posso fazer melhor das próximas vezes. Depois eu conto-vos.

Um abraço do vosso amigo, Escort.

6 comentários:

Anónimo disse...

Hola Rui:

Estou realmente impresionado coa tua historia sobre o noso ESCORT MK I, é preciosa, encantoume. Xamáis imaxinei que con un carro de resina se puidese facer una historia como a que ti fas do noso modelo, agradézcote moito que quixeras compartila con nós.

Entendo que ti es o dono do ESCORT e que ti fixeches todo ese traballo de decoración, está moi logrado o resultado final, felicidades. Espero tamén que o noso modelo xa rematado sexa do teu agrado e resulte eficaz nos ralis nos que participas. Se é así, alégrome moito. A nosa maior satisfacción é ver que os nosos modelos se adaptan ó que buscan os nosos clientes.

Aproveito para comentarte que si algunha persoa que ti coñezas está interesada en algún modelo dos nosos, pode enviar un e-mail á rallyekits@yahoo.es e darei toda a información precisa dos nosos productos a quén o solicite.

Podo apreciar tamén que o ESCORT leva un logo de SLOT CLUBE DO PORTO, penso que é o clube donde participou esa maravilla. Fai 6 anos xa que non visito á xente do clube, penso que a última vez foi nun campionato que se chamaba EIXO ATLANTICO e que se facía entre clubes de Galicia e Portugal (Braga, Porto e San Joao de Madeira). Eu participei no OPEN de Vigo a principios de Marzo e quedéi con xente de Portugal que facía moito que non veía que eu tería intentado voltar a Portugal a participar nalgún rali dos vosos; é do meu interés voltar pronto por esa maravillosa terra portuguesa. Agradecería moito que me enviases un calendario de provas para intentar acercarme canto antes e asi participar nos ralis vosos. Entretanto, mando un saúdo a toda a xente do clube do Porto, é seguro que alguén haberá por ahí todavía que participase hai 6 anos nese campionato EIXO ATLANTICO.

Un abrazo para todos vos:

CHEMA ESCUDERO

Anónimo disse...

Parabens Rui, lindo carro e fantastica "Estoria"...
F.Soares

Carlos Miranda disse...

Muito bem...refrescante....parabéns.

PJMiranda disse...

Excelente história e SlotCar!
Continua assim...Parabéns!

Anónimo disse...

Rui
Gostei do história e já tinha gostado do carro.
Onde posso arranjar um?
Fr.bianchi

FILIPE MORAIS disse...

Caríssimo, só mesmo tu para te lembrares de fazer uma crónica assim. Parabéns, está muito boa.
Já agora aproveito para te pedir que envies o nosso calendário para o nuestro hermano.